Sábado, 6 de Agosto de 2005

Errei...

Risquei todas as letras


Que poetizei para ti


Risquei-as


Eram demasiado imperfeitas.


 


Calei todos os versos


Que versejei para ti.


Calei-os.


Eram demasiado insonoros.


 


Embrulhei em papel


As letras e os versos,


Mudos e riscados,


E acendi com eles uma fogueira.


 


Errei…


Nas cinzas encontrei


O verdadeiro poema.


O meu amor é assim,


Insonoro e imperfeito.


 


Virgínia Pedras


31.Julho.2005

publicado por semipoetisa às 21:01
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Tua

. Que o orvalho da noite

. Poema

. Nós

. Fantasia

. Inveja

. Saudade

. Pormenor

. Saudade

. Encantamento

.arquivos

. Julho 2008

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds